quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

oiár


Eles são a origem de tudo
Marcam o presente
Traçam o passado com futuro
Eles não têm estudo
mas, sabem além de tudo
a cura do mundo
Atravessam o varadouro
sem olhar para trás
Seguem sem esquecer alguém
que o amou demais
As árvores o acolhem
o vento alimenta
e o tempo fortalece
Em meio à imensa miração
as cores o enlouquecem
Fazem prece
e repousam num sonho sombrio
A coruja agoura e vigia
a madrugada que
teme chegar viril

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...